O Corpo de Dentro é o álbum de estréia do compositor, arranjador e guitarrista Lourenço Rebetez. Produzido por Arto Lindsay (Caetano Veloso, Ryuichi Sakamoto, David Byrne, Marisa Monte), o disco conta com uma formação instrumental ambiciosa: 8 sopros (trompetes, saxofones, trombones); 3 percussionistas (atabaques, timbaus, surdos virados, caxixis); piano, baixo acústico e bateria.

São dez composições inéditas que, se por um lado têm o jazz evidente na maneira de tocar e nas ricas texturas harmônicas dos arranjos, têm firmes raízes no universo percussivo afro-brasileiro.

Nesse sentido, a presença dos percussionistas baianos Gabi Guedes, Iuri Passos e Ícaro Sá é marcante no disco. A percussão aqui não tem uma função meramente decorativa. Pelo contrário, os naipes de atabaques, timbaus, surdos virados, combinados em arranjos inspirados, fazem deste um disco de apreensão “corporal”, feito pra se ouvir com o quadril tanto quanto com os ouvidos.

Mas, para além do uso intenso dos instrumentos de percussão nos arranjos, há ainda um sentido mais profundo, pois é das claves dos toques de candomblé e das levadas dos blocos afro-baianos que vem a matriz composicional desses dez temas instrumentais, o que faz deste um álbum de jazz profundamente brasileiro. São ritmos como opanijé, aguerê, ijexá, samba-reggae, samba afro, vassi e bravum, que se somam à cozinha potente de Henrique Gomide, Bruno Migotto e Vitor Cabral para formar os grooves enérgicos de O Corpo de Dentro.

Diz Zuza Homem de Mello: “Eis Lourenço Rebetez, um jovem de 30 anos que aflora com seu corpo de dentro. Junta a riqueza rítmica da música brasileira com sopros do jazz. Com sua turma, ele provoca quem sabe ouvir música”.

Blog